(81) 99975-9997

Justiça

Vereadora da cidade de Amaraji em Pernambuco tem mandato cassado pelo os ministros do TSE

Publicada em 28/02/20 as 02:32h por Plantão 365


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Ministro Luis Felipe de Salomão  (Foto: Reprodução vídeo)

Uma vereadora eleita em 2016, na cidade de Amaraji, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, teve o mandato cassado pelo os ministros do TSE, nesta quinta-feira (27/02), ela e o segundo colocado na votação pela a prefeitura da cidade, também foram declarados inelegíveis.


O plenário julgou um recurso de Glória Maria de Andrade Gouveia, vereadora da cidade de Amaraji, Josaildo Gouveia da Silva Júnior, foram acusados de praticarem abuso de poder político e econômico, abuso de autoridade, e compras de votos.


Em 2016 Glória foi eleita vereadora e, Josaildo ficou em segundo lugar na votação para a prefeitura. De acordo com o ministério público, eles teriam participados de distribuição irregular de alimentos no município, além de desvirtuarem um bloco de carnaval, em Amaraji, para realizarem campanha eleitoral antecipada.





Para o Ministro Luis Felipe de Salomão, relator do caso, as irregularidades na festa ficaram comprovadas.


Quanto ao bloco da Banana. Acincustasia de se cuidar de eventos tradicional, é incapaz de se só de afastar o abuso. Cabi verificar caso a caso, se a festividade foi objeto de manipulação com intuito eleitoreiro. Os desvirtuamento e a repercussão são manifestos, pois, 1º (Primeiro), em 2016 o mascote do bloco continha a letra (J), em referência ao nome do pré candidato a executivo e o número 40.


2º (Segundo), as camisetas comercializadas para o público, que também continha o mascote era de cor amarela.


3º (Terceiro), de acordo com o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) a pretensa candidatura a chefia do executivo já era de conhecimento notório da população da cidade. Disse ele.


Ao analisar a distribuição de alimento, o relator afirmou que ouvi irregularidade, mesmo que a conduta não tenha sido praticada em período eleitoral.


“A moldura fática do acórdão revela ostensivas distribuição gratuita de alimentos, entre os dias 22/10/2015, e 28/06/ 2016, durante 23 ocasiões distintas em município de pequeno porte (15,505 eleitores),  o que nem sequer é negado pelos os ocorridos, como disse esse ponto é retroverso”. Concluiu o ministro Luis Felipe de Salomão, Relator do caso.


Com essa decisão dos ministros do TSE, o diploma da vereadora Glória Maria de Andrade Gouveia foi casado. Já o josaildo e o político que formou a chapa com eles, foram declaradas inelegíveis.

Fonte: TV Justiça.






ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








.

LIGUE E PARTICIPE

Copyright (c) 2020 - Plantão 365